quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

santíssima trindade


 As parcas, ou mesmo moiras, na mitologia grega, eram 3 irmãs que determinavam o curso do destino de todos os seres humanos e deuses, através da fabricação, tecelagem e corte do fio da vida (eram 3 putas bastante qualificadas e requisitadas, que faziam de tudo). Na época, seus nomes de guerra eram Nona, Décima e Morta. Viviam à beira de um rio, pois todas sofriam de claustrofobia e graves surtos de pânico.

Durante o trabalho, as parcas fazem uso da roda da fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios da vida e destino, as voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte mais privilegiada (o topo) ou em sua parte menos desejável (o fundo), explicando-se assim os períodos de boa ou má sorte de todos.

Há boatos confirmados que atualmente as 3 irmãs vivem isoladas no sub-mundo profano e casto de St. Lewis Valley – Frog Village Resort (Bairro São Luiz, vulgo Vila Sapo).

Na mitologia mojávica as parcas são representadas pela santíssima trindade – Santa Fattia, Santa Rodella e Santa PedaççaFather, Son and the Holy Spirit ou ainda Marimar, Maria do Bairro e Maria Mercedes; e através da “dressa” andina (trançado trazido pelas imigrantes putas e difundido largamente entre suas descendentes) de machú-picchú elas trançam o sucesso e o fracasso, a vida e a morte.

PS.: Para mais esclarecimentos nas mais diversas áreas, uma palavra de fé, uma mensagem do além, um jogo de tarot egípcio, uma cartela de Rivotril, etc... Entre em contato comigo por e-mail ou por telefone, meu número tá no orelhão da praça ou no banheiro da rodoviária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário